segunda-feira, 24 de julho de 2017

Presidente da Comissão dos Direitos da Pessoa Idosa destaca prioridades





Publicado em 25 de abr de 2017
A Comissão de Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa completa um ano em maio. O deputado Gilberto Nascimento, do PSC de São Paulo, atual presidente do colegiado, fala sobre as prioridades do colegiado.

Conheça nossos termos de uso: http://www.camara.leg.br/internet/tvc...

Siga-nos também nas redes sociais:

http://www.facebook.com/camaradeputados
http://www.twitter.com/camaradeputados

Can cities meet the needs of ageing populations?





Publicado em 2 de dez de 2014
People are living longer than ever before. If you are 28 or older, you are part of 1.5 billion people who will be over 65 in 2050, and you are likely to be among the 7 out of 10 people who will be living in cities. But how ready is your city for an ageing population? City indicators help governments evaluate where they are, so they can introduce the right policies to make our cities better. Learn more about ISO 37120 on city indicators: http://www.iso.org/iso/news.htm?refid...

Interactive Cities - Young Older Spirit

Publicado em 25 de set de 2016
Interactive Cities is a project looking into how to improve municipal governance through the use of social media. This is the story of how participatory processes in urban development can be supported through new communication technologies.

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

CIVI - City Vehicles Interconnected - Curitiba







Publicado em 11 de jan de 2017
A Cesbe, em consórcio com a Nórdica Volvo e a Associação Metrocard, acaba de receber aprovação do projeto proposto para a implantação da rede de transporte limpo para a cidade de Curitiba. Batizada de CIVI - City Vehicles Interconnected, a proposta foi apresentada por meio da PMI – Proposição de Manifestação de Interesse, lançada em maio de 2016 pelo poder público municipal.

segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

Segurança, qualidade a favor do povo

Segurança, qualidade a favor do povo
A nossa legislação prevê padrões severos de segurança que as empresas devem respeitar [1], infelizmente o alvo é o “mordomo” e assim os acidentes de trabalho têm números preocupantes.
Podemos e devemos, contudo, ampliar responsabili8dades por acidentes em geral. Um bom exemplo disso é a mobilidade urbana e a quase inutilidade de cobrar direitos e indenizações justas após acidentes. Sempre é bom lembrar a lógica da causalidade e custos para quem não respeita leis, decretos, estatutos, normas etc. A jurisprudência, medo, ignorância e falta de vontade de contribuir para o aprimoramento da dignidade da vida em geral de todos e nossa é um espanto, infelizmente “somos humanos, demasiadamente humanos” [2].
A implementação de cuidados modernos de segurança da população em geral deveria ir muito além de simplesmente comprar ambulâncias, cadeirinhas obrigatórias e mil cuidados a favor dos motoristas de automóveis. As cidades, estradas, qualquer espaço razoável de nosso país precisaria  (e poderia) contar com a supervisão de profissionais na área de segurança [3], inclusive em ambientes privados onde os eletrodomésticos, por exemplo, se transformam em objetos de tentativa e erro de pessoas idosas, com deficiência(s), jovens  e até crianças, se foram instalados ao alcance delas.
A inexistência de programas decentes de habitação e saneamento básico em muitas cidades cria custos monumentais, custos agravados pela falta de instrução e educação de seus habitantes, sobrevivendo além dos limites absolutos da resistência física e moral.
Teremos novos prefeitos e vereadores, mais ONGs, mais programas educativos etc. Resultados?
Precisamos de indicadores sociais e técnicos para monitoramento dos efeitos das novas e velhas administrações e, acima de tudo, estender a necessidade de utilização de profissionais dedicados à segurança em geral ( [4], [5], [6], [7], [8] etc.)
Note-se que endemias e epidemias assolam nosso país por omissão nessa terra de tantas festas e esportes...
Acidentes, incidentes, doenças, tudo pode ser inibido ou evitado desde que exista uma cultura adequada de proteção e educação.
Sustentabilidade, ODS, tantas novidades universais e inquestionáveis deveriam balizar nossos administradores públicos e privados, isso realmente acontece?
No Lions Clube de Curitiba Batel temos partilhado de ações relevantes que nos permitem uma compreensão maior do que acontece além, é claro, os efeitos de vidas profissional complexa contribuíram para ações voluntárias ambiciosas a favor da população em geral.
Sentimos que a mídia e a educação são essenciais, assim aplaudimos o que vemos com valor significativo e agimos no ambiente do Lions ( [9], [10]) , principalmente.
Nossas preocupações, apesar do esforço contínuo, residem no ambiente de crise econômica, política, social etc., (crise brutal) e mudanças de governo, como isso afetará a saúde e a segurança do povo em geral? O que devemos fazer? Estamos conscientes?


João Carlos Cascaes [11]
Curitiba, 12 de dezembro de 2016



[1]
“Segurança e Saúde no Trabalho,” Ministério do Trabalho, [Online]. Available: http://trabalho.gov.br/seguranca-e-saude-no-trabalho.
[2]
F. Nietzsche, “Humano, demasiado Humano,” [Online]. Available: http://livros-e-filmes-especiais.blogspot.com.br/2012/01/humano-demasiado-humano.html.
[3]
Wikipédia, “Engenharia de segurança,” Wikipédia, [Online]. Available: https://pt.wikipedia.org/wiki/Engenharia_de_seguran%C3%A7a.
[4]
L. Ribeiro e L. Patrício, “Indicadores para o monitoramento e avaliação das políticas municipais de segurança pública: uma reflexão a partir de um estudo de caso,” jul - ago 208. [Online]. Available: http://revista.forumseguranca.org.br/index.php/rbsp/article/viewFile/24/22.
[5]
F. B. d. S. Pública, Revista Brasileira de Segurança Pública.
[6]
“Observatório Nacional de Segurança Viária,” [Online]. Available: http://www.onsv.org.br/.
[7]
“Saiba quais são os principais acidentes domésticos e como evitá-los - Segurança e Proteção,” Meu Porto Seguro , outubro 2015. [Online]. Available: https://www.meuportoseguro.com.br/minha-casa/seguranca-protecao/saiba-quais-sao-os-principais-acidentes-domesticos-e-como-evita-los/.
[8]
S. F. Pantaleão, “ACIDENTE DE TRABALHO - RESPONSABILIDADE DO EMPREGADOR?,” Guia Trabalhista, [Online]. Available: http://www.guiatrabalhista.com.br/tematicas/acidente_resp_empregador.htm.
[9]
J. C. Cascaes. [Online]. Available: http://olhando-o-lions.blogspot.com.br/.
[10]
“Lions Clube Curitiba Batel,” [Online]. Available: http://www.lions.org.br/lionsbatel/index.php.
[11]
J. C. Cascaes. [Online]. Available: http://tinformando-meus-blogues.blogspot.com.br/.




terça-feira, 6 de setembro de 2016

Quando as cidades respeitarão o pedestre?






A lei do mais forte

Nas cidades brasileiras impera a lei do mais forte. Cem maiores cuidados obras desproporcionais às existentes são projetadas e realizadas com um mínimo de atenção às pessoas residentes à volta, pedestres, pessoas idosas, adoentadas, crianças e ao cidadão comum. O que vale é aumentar impostos, enfeitar a cidade com mais a obras de algum arquiteto ou urbanista, criar problemas que exigirão soluções caríssimas por conta do contribuinte e usuário de serviços essenciais.
Em 1988 estive com minha esposa em Grenoble aproveitando um programa francês de conhecimento da tecnologia de transporte coletivo urbano daquele país, à época uma excelente referência de qualidade.
Nessa cidade vimos exaustivamente o sistema sobre trilhos de superfície (VLT) e lá nos explicaram com naturalidade o processo de estudos de impacto ambiental, metro a metro, que precederam as obras além de consultas populares, mídia, apresentações etc..
Em Strasbourg a proposta inicial (VAL) foi substituída pelo VLT após cuidados inimagináveis por essas bandas simplórias.
Em 1977 na Suíça, em algum lugar ao sul, soubemos que antes de fazerem qualquer edificação naqueles espaços paradisíacos o proprietário era obrigado a fazer uma réplica que seria posteriormente substituída pela construção definitiva ou não, tudo dependendo da vontade dos moradores da região.
Aqui vivemos o pesadelo da ditadura de tecnocratas, empreendedores ignorantes e da famigerada Lei do Solo (mal) criado. Além dessas barbaridades cada prefeito que assume quer mostrar algo diferente. Assim em quatro anos ou oito ganhamos monstrengos e até coisas boas, olhando com pesar para os moradores deslocados, atingidos, perturbados.
Mais ainda, cidades com infraestrutura subterrânea antiga passam a receber mais carga sem nem ao menos saberem se aguentarão o produto das ruas e bairros verticais.
Bueiros entupidos são o símbolo do desleixo de fiscais, CREA, associações e corporações inúteis.
O pedestre?
Coitado, até chuveiro ganha nas ruas além de buracos e desvios improvisados. A superfície muda com a alteração de lençóis freáticos e as árvores malcuidadas (cheias de parasitas, por exemplo) morrem de sede além de esticarem raízes procurando água, complicando mais ainda pedestres, muros etc.
O Brasil é um país gigantesco, pode distribuir seu desenvolvimento respeitando critérios de sustentabilidade.
Somos também um povo que adora diplomas, seminários, “papers”, livros e outras coisinhas mas resiste à ideia de ver andando o que acontece, isso é para quem não pode ter automóvel, pagar táxi, não quer ou não consegue usar o transporte coletivo etc.
O caso é que até para atravessar uma rua eventualmente bem sinalizada e com gente que dirige com cuidado o risco é elevado.
Teremos eleições, que dilema, em quem votar?

Cascaes
06.09.2016



sexta-feira, 8 de julho de 2016

Programas e Projetos de Macrodrenagem no Estado do Paraná, a Cargo do Instituto das Águas do Paraná (AGUASPARANÁ)

Palestra: Programas e Projetos de Macrodrenagem no Paraná

Prezado/a JOAO CARLOS CASCAES, você está recebendo um boletim.
Na próxima terça-feira, 12 de julho, o IEP, através de sua Câmara Técnica de Saneamento, em conjunto com a ABES-PR, realiza a Palestra: Programas e Projetos de Macrodrenagem no Estado do Paraná, a Cargo do Instituto das Águas do Paraná (AGUASPARANÁ) com o objetivo de apresentar os programas e projetos do Estado do Paraná na área de macrodrenagem para o enfrentamento à elevadas precipitações atmosféricas, diante do cenário de mudanças e variações climáticas.
Participação Gratuita
Palestra: Programas e Projetos de Macrodrenagem no Estado do Paraná, a Cargo do Instituto das Águas do Paraná (AGUASPARANÁ)
Data: 12 de julho de 2016 (terça-feira)
Horário: 19:00
Local: Instituto de Engenharia do Paraná, Rua Emiliano Perneta, 174, Centro, Curitiba-PR.
Ministrante:
Carlos Alberto Galerani, Diretor técnico e de saneamento do AGUASPARANÁ.


sexta-feira, 17 de junho de 2016

Global Urban Innovators Highlights





e 2016
The Global Urban Innovators is the first global innovation startup program to tackle the biggest urban challenges of our time by supporting and promoting the 10 most innovative startups and social enterprises that use technology to solve pressing issues in cities. http://bit.ly/URBInnovate

New Cities Summit 2015 - Opening Address: Governor of Jakarta







Publicado em 7 de jul de 2015
The Governor of Jakarta, Basuki Tjahaja Purnama, gives an opening address to the New Cities Summit audience on Tuesday June 9. In English.

Andhra's New Capital Amaravathi To Be India's First Real Smart City





Publicado em 15 de dez de 2015
Andhra Pradesh's ambitious plan to build a world-class new capital Amaravathi is laudable for its global standards and vision. Let's hope Andhra Pradesh's CM Nara Chandrababu Naidu would pull off this enterprise with success. Good luck to Andhra people and Indians.

Follow me at https://www.facebook.com/DLXAreaOne
Follow me at https://twitter.com/DLXArea1

DLX Area 1

Click to Subscribe And Watch More Videos - http://goo.gl/bZDtb

Trailer: Cities of Tomorrow: New Cities (ARTE)







Publicado em 22 de out de 2014
Imagine the future – new, smart, ecological and hyper-connected cities, nourishing the hope for more sustainable lifestyles… This is not science fiction – it’s the adventure of building the cities of tomorrow. With these full-scale prototypes, scientists are experimenting green and technological systems to answer the two major challenges that future societies face: on the one hand, the question of energy, with the looming shortage of resources, and on the other hand, the demographic conundrum threatening cities with its skyrocketing figures: the number of city dwellers (today around 3.6 billion) is likely to reach 6.3 billion in 2050. That’s 50 to 70% of the world population.

From Songdo (South Korea) to King Abdullah Economic City (Saudi Arabia), this documentary follows the experts who design these ideal cities from scratch, developing methods to improve the efficiency of urban networks (transportation, energy…). A dream for some, a nightmare for others: this hyper-connected utopian model keeps raises questions about surveillance and personal data
protection. Are futuristic cities a Big Brother-like vision, jeopardizing individual liberties?

Directed by Frédéric Castaignède
Written by Frédéric Castaignède
Produced by © Docside Production - ARTE France - Rare Media
Documentary, France, China, 2014, 52 min
Sales agent: ZED

The documentary includes interviews with Mathieu Lefevre, Executive Director, New Cities Foundation, and several speakers from the New Cities Foundation's Cityquest - KAEC Forum, 2013 - a pioneering thought leadership event on new cities, hosted in King Abdullah Economic City. (www.cityquest.net).

To be aired in 2015.

terça-feira, 5 de abril de 2016

Café da manhã - As cidades brasileiras e as metas da COP 21

Café da manhã - As cidades brasileiras e as metas da COP 21

Entrada
x

INSTITUTO DE ENGENHARIA DO PARANÁ informatica@creapr.org.br

22:00 (Há 1 hora)
para mim
Prezado/a JOAO CARLOS CASCAES, você está recebendo um boletim da sua Entidade de Classe.
No dia 12 de abril o IEP realiza Café da Manhã com palestra ministrada pelo presidente do CAU-PR, Jeferson Dantas Navolar, que irá tratar das metas da 21ª Conferência do Clima realizada em 2015 (COP 21).
O Café da Manhã com palestra é uma realização do IEP em parceria com o Conselho Regional de Administração do Paraná (CRA-PR)​, Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Paraná (CAU-PR), Sinduscon-PR, Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Paraná (CREA-PR) e  Universidade Positivo.
Jeferson Dantas Navolar é graduado em Arquitetura e Urbanismo pela UFPR (1983). Mestre em Patrimônio Histórico Edific ado pela Universidade Federal da Bahia (2006). Foi presidente do Instituto de Arquitetos do Brasil - Departamento do Paraná (2008 - 010). Atualmente é presidente do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Paraná e Assessor da Presidência da Federação Panamericana de Associações de Arquitetos (FPAA) para Cidades de Fronteira.
------------------------------------------------------------------------------------------------- Boletim enviado pela entidade de classe: INSTITUTO DE ENGENHARIA DO PARANÁ. Através de seu acesso restrito nos serviços do CREA-PR.